escuro

Fundo investe em edtech que usa IA na educação

A Voa Educação, edtech que desenvolveu um aplicativo baseado em inteligência artificial que funciona como um assistente virtual, receberá investimento de até R$ 800 mil do Fundo BR Startups para impulsionar o seu crescimento.

O aplicativo conta com uma série de recursos. Em um deles o macaquinho Zeca é um chatbot no qual o educador relata informações sobre o dia a dia de cada aluno e de sua turma, como, por exemplo, se uma criança apresentou um comportamento agressivo, se foi solidária com um amigo ou se mostrou criatividade na resolução de um problema.

“O Zeca vai aprendendo junto com o professor a reconhecer as competências do aluno para apoiar o time pedagógico no desenvolvimento dessas habilidades”, explica Tiago Neves, fundador da empresa. O sistema Voa Educação pode ser aplicado desde a educação infantil até o ensino médio.

Os dados coletados são organizados em um painel que mostra, em gráficos, o desenvolvimento dos alunos nas dez habilidades humanas elencadas pela nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e gera um boletim socioemocional. A partir da visualização dessas estatísticas, o professor pode montar planos de ações individualizados, que serão acompanhados pela família e educadores.

A plataforma automaticamente busca formas de engajar os participantes na execução do planejamento. No Rio de Janeiro, a ferramenta já está funcionando em renomadas escolas da rede particular.

Para Richard Zeiger, sócio da MSW Capital, a Voa educação desenvolveu uma solução tecnológica única que, por ser facilmente implantada, vai possibilitar que as escolas passem a medir e orientar seus professores e alunos a como lidar com as habilidades humanas de uma forma lúdica, porém objetiva.

“Mais importante do que tudo isso, investimos na Voa Educação por acreditarmos no propósito da empresa de transformar a educação no Brasil incentivando o olhar para as competências socioemocionais, por meio de sua solução inovadora”, afirma o sócio da MSW Capital, gestora fundo que réune investidores como Microsoft Participações, Banco Votorantim, Monsanto (atualmente Bayer), Grupo Algar, Banco do Brasil Seguros, Qualcomm e AgeRio.

O objetivo do Fundo BR Startups de capital semente idealizado pela Microsoft é alavancar o negócio das startups por meio do conhecimento e de uma rede de parceiros de seus investidores e gestora. O fundo destina investimentos que variam entre R$ 500 mil e R$ 3 milhões.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share