Siga-nos

Amazon muda processamento da Alexa para chip próprio

Amazon

Assistentes de Voz

Amazon muda processamento da Alexa para chip próprio

Novo chip melhora latência de alguns processos da assistente de voz em até 25%, a um custo 30% menor, segundo a Amazon

A Amazon anunciou esta semana que vai mudar parte do processamento da Alexa para um chip próprio. Segundo a empresa, o novo chip chamado de Inferentia tem o objetivo de tornar o processo de computação da assistente de voz mais rápido e barato. Com isso, a Amazon se afasta da tecnologia desenvolvida pela Nvidia. 

De acordo com a Amazon, a mudança para o chip Inferentia melhorou a latência de alguns processos da Alexa em até 25%, a um custo 30% menor. A empresa também disse que o “Rekognition”, serviço de reconhecimento facial baseado em nuvem, começou a adotar o novo chip. No entanto, não foi informado se a substituição trouxe mudanças no processamento. 

O chip funciona da seguinte forma: quando os usuários fazem alguma pergunta para a assistente de voz, o comando é enviado para um dos datacenters da Amazon e segue para as etapas de processamento. Toda essa operação era realizada por meio dos chips da Nvidia, mas agora esse processamento acontecerá com o novo chip da Amazon.

Anunciado pela primeira vez em 2018, o chip foi projetado para acelerar o aprendizado de máquina dos grandes volumes de conteúdo, como tradução de texto para fala e reconhecimento de imagens.

Clientes de computação em nuvem, como a Amazon, Microsoft e Google são alguns dos maiores compradores de chips de computação. Porém, as empresas de tecnologia estão começando a abandonar os fornecedores para produzir os próprios chips.

É o caso da Apple, que apresentou na última terça-feira, 10 de novembro, os primeiros Mac com o chip M1, afastando-se da tecnologia Intel. 

Fonte: Venture Beat

Clique para comentar

Deixe suas impressões

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias de Assistentes de Voz

Topo