escuro
Amazon

Amazon muda processamento da Alexa para chip próprio

Novo chip melhora latência de alguns processos da assistente de voz em até 25%, a um custo 30% menor, segundo a Amazon

A Amazon anunciou esta semana que vai mudar parte do processamento da Alexa para um chip próprio. Segundo a empresa, o novo chip chamado de Inferentia tem o objetivo de tornar o processo de computação da assistente de voz mais rápido e barato. Com isso, a Amazon se afasta da tecnologia desenvolvida pela Nvidia. 

De acordo com a Amazon, a mudança para o chip Inferentia melhorou a latência de alguns processos da Alexa em até 25%, a um custo 30% menor. A empresa também disse que o “Rekognition”, serviço de reconhecimento facial baseado em nuvem, começou a adotar o novo chip. No entanto, não foi informado se a substituição trouxe mudanças no processamento. 

O chip funciona da seguinte forma: quando os usuários fazem alguma pergunta para a assistente de voz, o comando é enviado para um dos datacenters da Amazon e segue para as etapas de processamento. Toda essa operação era realizada por meio dos chips da Nvidia, mas agora esse processamento acontecerá com o novo chip da Amazon.

Anunciado pela primeira vez em 2018, o chip foi projetado para acelerar o aprendizado de máquina dos grandes volumes de conteúdo, como tradução de texto para fala e reconhecimento de imagens.

Clientes de computação em nuvem, como a Amazon, Microsoft e Google são alguns dos maiores compradores de chips de computação. Porém, as empresas de tecnologia estão começando a abandonar os fornecedores para produzir os próprios chips.

É o caso da Apple, que apresentou na última terça-feira, 10 de novembro, os primeiros Mac com o chip M1, afastando-se da tecnologia Intel. 

Fonte: Venture Beat

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share