Siga-nos

Alexa faz cinco anos e continua em evolução

Assistentes de Voz

Alexa faz cinco anos e continua em evolução

Das 13 tarefas iniciais que podia fazer em 2014, a assistente saltou para mais de 100 mil skills, sendo utilizada em mais de 100 milhões de dispositivos

A Alexa completa nesta quarta-feira, dia 6 de novembro, cinco anos de existência. Das 13 tarefas iniciais que podia fazer quando foi lançada pela Amazon, a assistente de voz saltou para mais de 100 mil skills, sendo utilizada em mais de 100 milhões de dispositivos. Atualmente, a Alexa interage bilhões de vezes por semana para realizar as tarefas. A evolução da Alexa não deixa dúvida de que a tecnologia de voz vem, nesse período, mudando a forma de as pessoas interagirem com o mundo.

Com o envolvimento de desenvolvedores e fabricantes do mundo inteiro, a Alexa ajuda o usuário a executar uma infinidade de tarefas, desde obter informações a controlar dispositivos domésticos inteligentes.

“Parte do que me mantém envolvido com a voz é o que me iniciou: a voz é uma interface tão natural, intuitiva e pessoal que pode parecer mágica ao usá-la, e eu adoro a ideia de oferecer essa experiência aos usuários”, diz Steven Arkonovich, fundador da Philosophical Creations.

Além de encantar os clientes com uma experiência de voz intuitiva, os desenvolvedores são motivados pela maneira como suas skills estão ajudando os clientes todos os dias. Por exemplo, muitas pessoas que usam as skills de sons do sono de Nick Schwab deixaram feedback positivo, sinalizando que elas se tornaram essenciais para uma boa noite de descanso.

“Saber que minhas skills melhoraram a vida das pessoas e que elas têm o potencial de ajudar muito mais é o que eu acho mais inspirador e me mantém construindo a voz”, diz Schwab, fundador da Invoked Apps

A Alexa oferece aos desenvolvedores a oportunidade de se tornarem os primeiros a adotar as mais recentes tecnologias de voz. À medida que novos recursos e capacidades são adicionados ao Alexa Skills Kit (ASK), os desenvolvedores podem aprimorar ainda mais suas skills para promover um envolvimento mais profundo com os clientes. Arkonovich diz que “não resiste a experimentar novos recursos” para expandir suas skills.

“Gosto do desafio de aprender um novo recurso e descobrir como ele pode ser melhor incorporado as minhas skillss, como compras dentro da habilidade (ISP), a Alexa Presentation Language (APL) e a API de eventos proativos e notificações, para cite alguns ”, diz a engenheira de software Kesha Williams.

De acordo ela, os avanços da Alexa na IA de conversação “literalmente mudaram o jogo” e é apenas o começo. Os desenvolvedores estão criando skills cada vez mais conversadoras, gerando mais engajamento com os clientes.

“O advento da nuvem, os avanços no entendimento da linguagem de processamento natural e a modelagem da linguagem natural, e a tecnologia de conversão de texto em fala levaram a IA de conversação para o próximo nível e abriram portas para fazer a Alexa responder de uma maneira mais humana”, diz Williams.

Ser capaz de detectar a frustração de um usuário pelo tom de voz, juntamente com as palavras faladas, é outra capacidade significativa e em desenvolvimento recente, diz Arkonovich. Com avanços como o Detecção de Frustração com Alexa, que será lançado nos EUA no próximo ano, a Alexa entende o tom e a inflexão do cliente e pode reconhecer quando ele está frustrado com uma resposta à sua solicitação, como uma pessoa faria.

“Para que a experiência de habilidade entregue o que o cliente está pedindo, é necessário entender o que ele pretende expressar em determinadas palavras”, diz Arkonovich. “Obter a emoção por trás das palavras pode ser uma parte importante disso.”

Segundo Adva Levin, fundadora e CEO da Pretzel Labs, esses cenários levarão os desenvolvedores a considerar novos casos de uso ao desenvolver novas skills e como os clientes se comunicam de maneira diferente ao dirigir ou se deslocar, por exemplo.

“Estou incrivelmente empolgado ao ver o Alexa crescer fora de casa nos próximos cinco anos e abrir uma nova categoria de skills contextualmente construídas para novos dispositivos”, diz Nick Schwab, fundador da Invoked Apps.. “Esses novos ambientes despertarão ainda mais inovação de desenvolvedores de terceiros”

Juntamente com mais oportunidades de inovação, os desenvolvedores dizem que os próximos cinco anos trarão ainda mais avanços na IA conversacional e no reconhecimento de fala.

“Daqui a cinco anos, a Alexa se tornará uma interface verdadeiramente de conversação, reunindo muitas skills díspares em uma experiência perfeita para ajudar o usuário”, diz Arkonovich. “Quando você reúne muitas skills separadas de maneira inteligente, o todo é maior que a soma das partes. Será uma verdadeira transformação.”

(Nota: tradução a partir de post do blog de desenvolvedores da Alexa)

Clique para comentar

Deixe suas impressões

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias de Assistentes de Voz

Topo