escuro
Brasileiro usa assistentes de voz, pelo menos, uma vez por semana

Uso de assistentes de voz cresce no país, diz pesquisa

48% das pessoas disseram que usam a tecnologia, pelo menos, uma vez por semana. Uma em cada cinco utiliza todos os dias

Apesar de ainda recentes em versões para o português, aos poucos os assistentes de voz ganham espaço na vida dos brasileiros. Esta é a constatação de uma pesquisa da Ilumeo, consultoria de análise de dados, que consultou 1,1 mil pessoas de faixas etárias e perfis de renda diferentes entre março e julho deste ano.

Segundo a pesquisa, 48% dos entrevistados disseram que utilizam os assistentes de voz pelo menos, uma vez por semana. Outro dado é que um em cada cinco usam a solução todos os dias. Ver uma pessoa controlando algum aparelho por voz tornou-se comum para 63% dos consultados pela pesquisa.

Um fator que contribuiu para o aumento do uso dos assistentes de voz foi o isolamento provocado pela pandemia do coronavírus. Neste período, o maior uso de aparelhos eletrônicos foi constado por 47% das pessoas ouvidas e 54% apontaram ter visto mais valor na funcionalidade.

Usos e praticidade

Entre os principais usos apontados pela pesquisa estão a busca por voz (87%) e tirar dúvidas (82%). Para os entrevistados, outros comandos relevantes são transformar fala em texto (52%) e realizar operações bancárias (18%).

E onde os brasileiros mais gostam de usar os assistentes de voz. De acordo com a pesquisa, a cama é o lugar preferido por 52% dos consultados; assistindo TV (48%), trabalhando (45%) e dirigindo (43%). Para dois em cada três pessoas, usar assistente de voz é algo que combina com seu estilo de vida.

A maioria dos consultados, 84%, disse que usar os assistentes de voz é mais prático do que digitar. Realizar outros tarefas de forma simultânea é a motivação para 76% dos entrevistados.

Segundo a pesquisa da Ilumeo, pouco mais da metade dos participantes apontaram algum receio sobre os assistentes de voz quando o assunto foi a privacidade dos seus dados e conversas. A pesquisa mostrou, no entanto, que apenas 22% encaram isso como uma barreira para o uso.

O levantamento apontou que 43% consideraram os aparelhos com a tecnologia muito caros, enquanto para 33%, o principal impedimento para o uso é o fato de a assistente por voz não entender com precisão o que é pedido.

Visão da marcas

Para 70% das pessoas ouvidas, as marcas que usam a tecnologia de voz apresentam mais valor. Para 68%, é mais inteligente comprar uma marca que oferece assistente virtual por voz.

A pesquisa ainda levantou questão sobre a associação de marcas à funcionalidade. O Google (72%) e a Apple (45%) foram as empresas mais mencionadas. Bradesco e Vivo, que lançaram seus assistentes virtuais, também foram lembrados por 6% e 3% dos consultados, respectivamente.

A automação de atividades rotineiras da casa também parece ter ligação direta com a tecnologia tecnologia, com 76% dos respondentes afirmando que os aparelhos de TV são o que mais querem controlar com a voz. Para 71%, o que mais querem é utilizar aplicativos de transporte.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share