Siga-nos

IA pode gerar mais empregos no país, diz estudo

Inteligência Artificial

IA pode gerar mais empregos no país, diz estudo

Pesquisa diz que número de empregos no setor de serviços corporativos pode chegar a 26 milhões até 2030 com uso de IA

O emprego da inteligência artificial, no Brasil, pode gerar 26 milhões de empregos novos no setor de serviços corporativos. É o que aponta pesquisa da Microsoft para medir os impactos do uso da tecnologia. Segundo o estudo “O impacto da IA no mercado de trabalho”, conduzido pela DuckerFrontier, serão 103% mais de postos de trabalho até 2030, na comparação com as estimativas do Banco Mundial (Bird) e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A estimativa não leva em conta os efeitos de automação e criação de empregos novos, que, se considerados, fariam o número de empregos no setor de serviços corporativos crescer 258%. O estudo aponta aumentos significativos no número de novos empregos nos setores de manufatura (73%); comércio varejista, atacadista, hotelaria e alimentação (44%); e construção (42%).

As simulações do estudo mostram também que, à exceção dos serviços corporativos, todos os outros setores passariam por uma redução na carga horária de trabalho por conta dos ganhos da automação. A redução líquida do número das horas trabalhadas seria de 33%, no cenário mínimo de benefícios da IA, e, no cenário máximo, de 7%.

Com relação ao crescimento econômico, a adoção máxima de IA no país pode aumentar a taxa composta anual de crescimento (CAGR) do Produto Interno Bruto (PIB) para 7,1% ao ano até 2030. Esse é um aumento superior à projeção de 2,9% de crescimento do PIB feita pelo Bird e pelo FMI no mesmo período, também descontando os efeitos da IA.

De acordo com o estudo, o maior avanço do PIB viria acompanhado ainda de um crescimento até quatro vezes maior nos níveis de produtividade do país, podendo chegar a uma taxa composta anual de crescimento de até 7% ao ano no período até 2030, comparada a 1,7% de crescimento ao ano estimado pelo Banco Mundial e pelo FMI.

O estudo da DuckerFrontier também destaca que uma redução na carga horária de trabalho não levaria automaticamente a uma perda de postos de trabalho em todos os casos. Segundo a consultoria, as companhias poderiam alocar novas tarefas a seus funcionários ou até reduzir a carga horária graças aos ganhos de produtividade que a IA oferece.

Também neste cenário de benefício máximo de IA, haverá uma grande demanda por mão de obra altamente qualificada, que beneficiaria a todos os setores da economia, totalizando uma demanda adicional de 17,7 milhões de empregos para esse perfil profissional (+50% de crescimento em emprego de alta qualificação em relação aos prognósticos atuais).

As vagas com maior demanda serão concentradas entre profissionais liberais, técnicos de nível médio, e gerentes. Neste cenário, a participação total de empregos de alta qualificação aumentaria de 34% para 54% do emprego total do país.

Clique para comentar

Deixe suas impressões

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias de Inteligência Artificial

Topo